Esqueci minha senha

Como organizar uma Audição na Dança do Ventre?

Escrito por Joyce Borges

Quero organizar uma audição, mas por onde começar?

 

Joyce Borges, sócia-diretora da Mahasin Cia. de Dança, resolveu contar pra você o que a maior cia de dança do ventre de São Paulo  leva em consideração quando abre uma audição.

 

Uma audição… Lembro de quando prestei a audição para entrar na Mahasin 7 anos atrás. Eu nunca tinha visto algo parecido no mundo bellydance, todas as audições que via eram sobre jazz ou ballet e, apesar de saber da proposta da audição, lembro que na época fui muito mais pelo feedback do que para passar a fazer parte do grupo... rs

 

Com o passar dos anos e com a direção administrativa da Mahasin, vi muitas pessoas passarem pela Cia, pessoas que ficaram anos, pessoas que ficaram semanas. Aos poucos, vimos o que dá certo para nós e o que nem tanto, descobrimos nosso público, descobrimos nossos pontos fortes, abrimos outros “segmentos” dentro da própria Cia, mas tudo sempre com atenção e planejamento e sempre embasadas nos resultados das audições.

 

Com o BOOOM de audições e grupos de competições que vi no último ano, eu fiquei realmente feliz em saber que nosso meio está crescendo nesse quesito, mas será que estamos fazendo isso “certo”?

 

Hoje fui convidada pela equipe do CDV para contar um pouco sobre a experiência desses 7 anos em audições e, caso você esteja sonhando em fazer uma, seja como bailarina ou organizadora, espero poder te ajudar.

 

 

1- OBJETIVO

 

O primeiro passo para se planejar uma audição é ter bem claro o objetivo, por exemplo:

Grupo de estudos

Mostras e apresentações não-remuneradas;

Produzir um espetáculo;

Treinamento para competição;

Direcionamento de carreira para profissionalização;

Contratação para eventos e shows;

 

O objetivo deve estar alinhado com o seu talento, o que você como diretora, líder e gestora desse grupo faz de melhor, pois a partir do momento que envolvemos outras pessoas nos nossos sonhos, não temos mais o direito de simplesmente enjoar e deixar de lado.

 

Essa relação entre o que você gosta muito de fazer nos leva a um segundo ponto, que preciso ser sincera com você, vai acontecer: você é referência no que está se propondo a fazer? Os interessados na audição irão te pesquisar, pesquisar sua escola, suas apresentações, sua carreira e sempre dá uma segurança maior prestar audição para participar de um grupo que tem como líder uma pessoa com experiência no ramo de atuação; isso não é regra, mas é sempre bom refletir sobre.

 

Atenção: seja qual for o seu objetivo, as pessoas que se colocarem à prova e passarem na audição devem ter uma contrapartida por fazer parte disso.

 

 

2- PÚBLICO-ALVO

 

Ao definir o objetivo, o próximo passo é saber qual o público ideal para atingi-lo. É para essas pessoas que você precisa direcionar sua comunicação, por exemplo:

 

Um grupo de apresentações em mostras poderia ser constituído por alunas suas? Ou a produção de um espetáculo (entretenimento) requereria bailarinas com um nível técnico mais apurado?

 

A definição do público-alvo determina vários outros fatores com que você terá que se preocupar depois:

-Esse público pagaria para fazer parte do seu projeto?

-Esse público tem horários livres similares para se reunir nos ensaios e estudos que você irá propor?

-Esse público traria mais “status” para o seu projeto?

-Esse público tem o nível técnico exigido para o seu objetivo?

 

Analisar essa relação objetivo X público-alvo é importante e te previne de vários problemas em que geralmente não pensamos e que só aparecem lá na frente, após a audição, e isso nos leva ao nosso 3º fator.

 

 

3- FINANCEIRO

 

Nesse item o seu projeto já começa a tomar forma. Veja:

-Se você for produzir shows e espetáculos, as bailarinas que selecionar irão trabalhar para você, então dessa forma o dinheiro precisa vir de outro canto como patrocínio, contratantes, etc, pois precisará pagar pelo trabalho delas.

-Se seu objetivo é formar pessoas, prestar o serviço de coreógrafa, orientadora, professora, nesse caso você trabalha para as bailarinas aprovadas, então você deve receber por isso.

 

Você deve ter claro em sua mente que esse projeto precisa se manter financeiramente de alguma forma e antes de abrir a audição é necessário ter esse item muito bem definido, senão no primeiro aperto o seu projeto se quebra e o sonho vai embora. Sabe aquela coisa de capital de giro para a empresa se manter e não ficar no vermelho? Pois é, isso também acontece na formação de grupos de dança.

 

Acima eu dei apenas dois exemplos dos inúmeros cenários que podemos ter, mas considere o principal: esse trabalho precisa ser remunerado de alguma forma, seja via permuta, seja organizando eventos para arrecadar verba, seja via patrocínio, pagamento de mensalidade, etc.

 

E lembre-se, seja qual for o objetivo, público e condição financeira do projeto, as pessoas que se colocarem à prova e passarem na audição devem ter uma contrapartida por fazer parte disso. É muito importante que essa relação custo-benefício seja tão boa e clara pra você, que é a líder do projeto, quanto para as integrantes do seu grupo.

 

 

4- CRONOGRAMA DE TRABALHO

 

Definidos os pontos acima, você vai pra prática: definição de data da audição, cronograma de trabalho, estreia, regularidade dos encontros, entre outras coisas. Importante saber que tudo isso está interligado, um ponto depende do outro e, às vezes, você precisará fazer pequenas mudanças quanto ao que já havia definido ou ao que sonhava como o ideal, mas estar aberta a mudanças e imprevistos é o papel de um líder!

 

Exemplos:

Se quero estrear com meu grupo no EVENTO X, de quanto tempo preciso para preparar tudo?

O nível que vou exigir está de acordo com esse tempo que terei até a estreia?

Se quero produzir um espetáculo pra daqui dois anos, como será meu cronograma de trabalho até lá?

 

Não estou falando que toda a sua vida precisa estar planejada aqui nessa fase, tudo detalhado, como será cada encontro, não! Mas ter um ponto de partida, e um esboço do que pretende é sempre muito bom, já dizia o Gato: “Para quem não sabe para onde vai, qualquer lugar serve”.  E digo mais: coloque-se no lugar das pessoas que estão confiando em você e no seu projeto. A maior ansiedade de quem presta uma audição é saber quando ela pisará no palco.

 

 

5- DIVULGAÇÃO

 

Feito tudo isso, é hora de divulgar!

 

Lembra da definição do público-alvo? Então, agora você vai usar isso para saber onde essa galera está, para ser o mais assertivo possível na sua divulgação. Facebook, escolas de dança, revista de dança, eventos, portais de dança, o próprio CDV, e-mail marketing, Instagram, carro de som, entre muitos outros; existem diversos meios de comunicação, mas cada um atende um público específico.  Pensando nisso, analise seu público, veja onde ele está e invista em uma divulgação.

 

Investir em divulgação?

 

Sim, baby, investir! Reserve um dinheirinho para divulgar o seu projeto. Um projeto, seja ele qual for, raramente consegue sobreviver sem divulgação, afinal, “quem não é visto, não é lembrado”. Quando você investe em divulgação, aumenta as chances de ter mais pessoas interessadas no seu projeto e ainda pode aliar o seu nome ao nome da mídia escolhida.

 

Junto com a divulgação também vem a importância das informações. Esteja sempre a postos para tirar as dúvidas das interessadas, não se canse de passar as informações do seu projeto - às vezes o que é óbvio pra você, para os outros não é. Atenda bem as pessoas, com educação, se preocupe com o português (é sempre bom, né). Agilidade no retorno também é importante, acesse constantemente o canal de informações que você deixou disponível, seja e-mail, telefone, site. Bom atendimento e organização são ótimos cartões de visita para quem não te conhece pessoalmente.

 

 

6- AVALIAÇÃO

 

Existem muitas formas de se avaliar bailarinas. Você pode pedir para mandar material antes e já fazer um filtro (como um pré-cadastro), você pode marcar uma data e pedir apresentações solo ou improviso, você pode passar sequências no dia da audição, você pode fazer online, você pode fazer uma análise entre o currículo, anos de experiência e a apresentação… enfim, formas existem inúmeras.

 

Escolha a forma de avaliação que for melhor para você como avaliadora em relação ao seu objetivo. Por exemplo: não adianta você pedir um vídeo de uma coreografia  se seu grupo será de bailarinas contratadas para dançar improviso em eventos. A avaliação deve te dar ferramentas para analisar a bailarina e saber se atende as expectativas do que você irá propor ou não. 

 

Na hora de dar o feedback, seja para aprovar ou reprovar, saiba que você está lidando com o sonho de uma pessoa! Abrir uma audição não é tarefa fácil: quando falamos de avaliar a dança de uma bailarina, seja isso o trabalho dela ou o hobby, precisamos saber que o resultado, seja positivo ou não, deve ser uma alavanca para sua carreira, um recomeço e não um "atestado de inabilidade". Para quem não é aprovada, tome cuidado com as palavras, incentive o estudo e aperfeiçoamento, indique aulas, ressalte os pontos fortes e dê dicas para trabalhar os pontos fracos. Para quem passa, ressalte a importância também do estudo contínuo e saiba que você será seu espelho, seja responsável com seu trabalho e com o desenvolvimento das novas integrantes.

 

Se você respeita as pessoas, elas te respeitarão também!

 

(Audição Mahasin de 2016)

 

Espero que vocês tenham gostado, fico à disposição para dúvidas e ajudar no que eu puder.

 

E, deixo aqui o meu convite para quem se interessar em participar da próxima audição da Mahasin Cia. de Dança, que acontecerá dia 12 de outubro de 2017 a partir das 10h. Em breve teremos mais informações aqui mesmo no CDV.

 

Caso você queria conversar sobre o tema ou ainda tenha interesse em participar da audição da Mahasin, envie email para cimahasindedanca@gmail.com . Vou adorar conversar com você!


Sobre a autora
Pós graduada em Comunicação pela FMU em 2015. Iniciou seus estudos em dança do ventre em 2007 e em dança cigana em 2008 e desde então continuou seus estudos sempre realizando cursos e workshops. Conquistou o terceiro lugar no solo cigano do Mercado Persa 2017, primeiro do Hathor Festival 2016, entre outros. Conquistou junto a Mahasin Cia de Dança títulos no CIAD 2014 e 2015, no Brasil, e o CIAD Mundial 2015, na Argentina.

 

 

 


Veja Mais ver todas +

Nuvem de Tags

bailarina cairorevista vídeosbailarinabailarina homenageada homenagemartigo central danca do ventreliteratura professora brasil dança do ventre dança musica arte egito homenageada